Memórias do Presente , é presente.

Faz anos que não vejo meu amigo Rodrigo Vilela e ele veio me visitar. Eu tenho meditado por um tempo, mas sempre faço perguntas sobre histórias de vida. Ainda mais que meu amigo. ele trabalhou em reciclagem, e ele trabalhou para a Globo. Então eu sabia que ele teria histórias ao redor do mundo. Mas nosso encontro nos fez meditar e aquietar nossas mentes.

A história que ele me contou me tocou, achei que deveria virar filme. Era sobre um jovem, digo que nasceu no Brasil, em Minas, era de sua cidadezinha e gostava de filosofia e queria ser padre. Ele quase não tinha dinheiro, mas foi para São Paulo e ajudou os alunos a entrar na faculdade. Ele mesmo não podia ir.

Mas foi na época da ditadura e estava começando, que vi jovens que queriam estudar em faculdades que não queriam de gente que gostava de questionar.

Mas foi uma fase e mesmo assim não foi muito aceito para ajudar os alunos. A certa altura percebeu que ia ser morto e teve que morar em casas e bairros e fugir do Brasil.

Até isso eu pensei que era uma das coisas terríveis que já escutei, mas a vida ainda me surpreendeu mais.

Ele teve que fugir do país e descobrir como iria a pé até a fronteira boliviana. Consegui falsificar a hora de um jogo de futebol.

Ele foi e conseguiu chegar no Chile e tentou ir para Suíça, Itália e negou. Ele consegui ir para a França.

Não parava de querer ser padre, foi aprender francês e foi ao templo e começou a estudar e escrever poemas.

Lá ele se apaixonou pela freira, que estava ali e começou a escrever poemas para ela. E finalmente conseguiram se livrar dos livros.

Isso me tocou. Porque essa história não era do Desconhecido, mas eu não sabia.A história veio dos pais, do meu amigo Rodrigo, com quem nos casamos na festa junina e estudamos no Licée Pasteur.

Ainda mais irônico é que meu amigo é gay. E nós somos ateus e gostamos mais da reencarnação.

Talvez porque nos sentimos chamados na vida, e ainda estamos na vida. Eu brinco que somos esquerda caviar, mas pensamos, e estamos nos descobrindo através da meditação. Estamos juntos na espiritualidade da descoberta de quem somos. Não abandone quem você é, nem dá para saber quantas pessoas te ajudam, você já ajudou. Mas isso é o quanto você verá através da meditação.

Com amor Ju

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s