Eu sempre prefiro a paz, e isso nunca vem com uma guerra

Sempre sou contra armas, mas tenho muitas razões para a guerra contra as quais sou contra.

Também me pergunto quem está por trás disso. Em guerra, sempre há alguém por trás disso.

No meu doutorado, que foi na Lse, eu tinha um amigo que veio de Israel. Eu tinha esperança de paz para Israel e Palestina.

Mas o tema de hoje é Rússia e Ucrânia e eu tenho um amigo querido que era de Lse e veio da Rússia. Ele mora na Suécia, mas há muitos anos não consegue ver sua mãe e ela, ainda não conseguiu conhecer seu neto.

Andrey ficou muito triste com o que está acontecendo em seu país e com a Ucrânia. Mas em seu nome ele não faz parte de uma guerra.

Em nome de um país, ele está destruindo a Ucrânia.

Isso me lembrou de outro amigo de Lse, e ele veio de Israel.

Em Israel você tem que ir para o exército. Mas a noite dele porque achou injusto com a Palestina.

Quando meu amigo me disse que havia negado ir para o exército. Ele foi colocado na prisão dentro de Israel.

Depois de um ano, o exército perguntou se ele voltaria para o exército. Ele negou novamente, então foi colocado na prisão dentro da Palestina. Aprendeu a falar árabe.

Quando eu disse a ele “você deveria fazer isso já que você fala hebraico e árabe, eu nunca estou apenas aprendendo”. Sua resposta foi “por que você não faz isso no Brasil sobre os povos indígenas?”

Foram palavras duras, ele tem razão, é fácil resolver os problemas de quem está longe de nós.

Abandonei meu doutorado e ainda espero pela paz. Não sei como podemos resolver nossos problemas no meu país. E são enormes.

Toda a América, América do Sul que é colonizada pela Europa. Sou descendente de europeus e misturada de un pouco de negro e indígena, mas também conheço indígenas.

O que podemos fazer? Nomes de países, países regionais e religiões e armas não resolvem os problemas.

Então, novamente, sou contra guerras, exército, armas, mas espero que tenhamos que parar de destruir. Acho que não estamos aprendendo com a história do mundo.

Então, como está no momento, espero que nenhum ucraniano crie raiva e ódio e Rússia e signifique armas. Até eu acho cruel que outro país tenha que fazer isso (Ajuda

Então, no momento, eu sei o que Andrey sente, como eu no Brasil, já que estão matando indígenas. Eu sempre admiro os indígenas. Mesmo que eu seja a representação de mim.

Eu sei que meu amigo de Israel admira os palestinos, ele é como eu.

Mas também tenho amigos que são palestinos ucranianos qualquer indígena.

Para mim todos os problemas que relacionei com o mundo. Mas também tenho amigos que vieram de família indígena e moram na Europa.

Acho que sim pessoas simples e humildes que temos na cabeça. Aprendi com os tibetanos e eles me ensinaram muito.

Antes do meu Comas eu estudava política internacional. Na época eu tinha ódio e raiva.

Mas eu aprendo muito com aqueles que perderam de sua terra. Conheci tibetanos que ainda respeitam a China. Eu tinha aprendido com os vietnamitas. Na verdade na Ásia eu nunca ouvi falar de nada que eu quisesse ser uma arma.

Então, quem ele está lutando para ganhar, oh é simples quem está por trás é apenas alguém que nunca percebeu que o poder do dinheiro e da vontade nunca vai fazer você vencer a si mesmo. Então, eu e todos os meus amigos, todos temos ódio e um sentimento de que temos que justificar quem somos. Ainda estou tentando ser melhor e não fazer parte da Destruição. ame a compaixão e experimente a paz.

Amor, Ju

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s