Meu primeiro ataque epilético e a Medicina entrando na vida .

Estava ontem no hospital, e estou grata. Quantas vezes eu abandonei a medicina. Estou tomando Cortizona , e Rituximabe.

Quantas vezes eu tirei. As vezes eu olhava os efeitos colaterais, ficava desesperada e parava o tratamento. Sempre achava que da maneira natural seria melhor. Assim que acabei tendo 2 comas e muitas lesões no cérebro.
Então eu quero contar do princípio da medicina entrou na minha vida. Eu quero te mostrar como começou o meu primeiro ataque epilético que foi no Marrocos. Ela começou quando eu tinha 26
anos e hoje eu tenho 40 .

Começou quando eu estava viajando no Marrocos. Sempre me faz lembrar do deserto Saara
Mas eu falo deserto e dos sentimentos opostos é porque no deserto você sente calor com o Sol e quando ele parte vem o frio.. Ali você sentir um sentimento do oposto quase como é um ataque um epilético, como estamos fora do controle de nós mesmos

Mas depois de conhecer Marrakesh, e muitos lugares. Mas quando cheguei em casablanca , e eu não precisava ir a Londres . Resolvi de ficar mais tempo e ir a cidade que meus amigos tinham me contado.

Fiquei indo e de repente fui conhecer Chefchuen. Mas como o Marrocos foi colonizado pela França a Cidade é chanada de Chefchuen, ( Xexuão ou El Aiún). E quando eu fui viajar sozinha eu escutava mais Árabe do que frances.

Mas quando eu Estava viajando sozinha, conheci dois senhores que ficaram preocupados comigo.
Eles compravam coisas do Marrocos para vender em Ceuta.

Eram 2 senhores que compravam roupas para vender na Espanha . Eles me convidaram para ir no carro deles até Ceuta. Ceuta fica Africa.
Foi incrível viajar com esses senhores, com eles fui observando todos os lugares mas quando chegamos na fronteira eles nem sequer pediram o meu passaporte. Mas eu vi eu fiquei impressionada pela mudança que havia entre um país e outro.

Fiquei um dia em celta porque eu queria voltar ao Marrocos. Fui a pé e quando eu cheguei na fronteira havia centenas de pessoas que não estavam bem.

Eu diria que era uma das coisas mais tristes que eu vi. Muitas pessoas que não foram aceitas na Europa. Me diziam pra eu ir na frente e eu queria estar na fila . Eu disse que eu ia na fila mas os africanos que não foram aceitos por preconceito diziam para eu ir na frente pq eu era branca.

Quando eu atravessei havia 1 milhão de pessoas que queria morar na Europa. Como já contei, minha amiga Leila que é do Marrocos e é uma fotógrafa Na ONU foi morta pelo seu trabalho, e sabia da injustiça que há no mundo.

Aqui no Brasil, o preconceito de todos continua também. Acho que o início das minhas crises epilépticas está relacionado a emoções fortes e pessoas muito próximas a mim. Quando a Leila foi morta eu fui parar no Hospital, e agora estou tomando o Rituximabe que consegui controlar do desespero que me deram quando Sho morreu e eu acabei de estar no hospital. Desta vez já estava ontem, e feliz porque talvez não sinto mal dos defeitos colaterais.

Como disse, apos dois comas, com as perdas de e dificuldade no falar, se eu estava no hospital é porque finalmente eu o levo a sério.

Foi em 2007. Como digo manterei os meus erros sem pedir a ninguém. Temos que dar valor de tentar ficar melhor.

Mas eu lembro que ha anos quando cheguei na casa da mãe da Moon tentei de explicar e como é difícil.

(Fui dormir e à noite veio aquele desespero de algo que eu não sabia explicar. Era como sentir e calor como o deserto do Saara. Como era o Sol e a Lua. Como calor com sol e depois no frio. Mas na cama e frio e o calor e fora de si entender. minha mente isso foi perdendo o controle. Cynthia vibrações de adrenalina, minha mente foi ativada e pensando na prisão das fronteiras, você não pode controlar com o mesmo pensamento. “
Mas sei que ainda não tenho controle , mas tento. Sabemos muito pouco de nós.

Então me lembro de ter ido ao aeroporto para ir a Londres. No avião Minha mão estava se movendo. O senhor estava do meu lado e disse: “Você não está bem e deveria falar com os médicos. “

Porque eu quero contar aos poucos sobre minhas quedas. O primeiro já escapou do hospital em Londres. Fiquei uns dias e exames e saí com minha responsabilidade. Ou seja cai muito.

Até eu sei que os médicos explicaram com nomes diferentes do que eu tenho. Innoway eles ainda estão tentando descobrir que está no meu cérebro.

Mas eu sei que os estudos mudam o tempo todo. Acho muito útil ver que o cérebro não sabemos tanto. Mas posso ver que podemos aprender novamente.

Mesmo que eu não consiga falar uma palavra, e eu consiga o bloqueio a da lingua onde estou falando. Mas ela pode sair na outra lingua. Eu sei, mas a mente sabe.

A mente é tão incrível que pode fazer para encontrar uma maneira de ver falar e ouvir. Até diria devíamos todos de aprender mais línguas. Isso nos ajuda muito.

Posso preencher e respeitar a medicina mas também a Meditação ajuda demais. É como eu respeito a medicina alternativa, mas a medicina tem Juntos.

Com amor, Ju

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s