Aprendi de uma criança :)

Faz dias que a Thainá me disse “Verdade que voce vai continuar sem usar o telefone, a internet?”Thainá tem 8 anos e é filha da minha amiga Camila. Esses dias a Cami me disse que ela gostava muito mais da infância do tempo que não tinha internet e telefone.

Camila é de familia misturada de Indígenas e europeus. Cami tem um restaurante e é de Ubatuba. Eu a conheço faz muitos anos. Aquele dia eu ri e concordei. Em Sao Paulo vi um menino de uns 10 bravo de não estar ganhando o Iphone X. 

Eu que nem entendo o que quer dizer, me explicou o André que é o telefone mais moderno e caro do Iphone. Naquele dia já tinha achado bem triste ver criança obcecada com telefone. 

Enfim como o André estava lendo um artigo no celular eu resolvi visitar minha amiga Cami. Cheguei lá, estava ela com dois filhos, Thainá e Noah. O outro devia estar no telefone no quarto. Noah tem 3 anos e eles queriam sair e fomos brincar na rua. De repente alguém ligou para falar do feriado de Minas e portanto devia ficar cheio. Disse para Cami que eu podia levar os filhos para minha casa aqui em Ubatuba que é na praia. 

Cami achou que o Noah ia ficar infeliz, e chorar. Fiz um trato com eles. Vamos juntos e quando quiser voltar andamos de volta. Carreguei o Noah e a Thainá foi me dando os conselhos, falando da vida dela. E eu ia fazendo perguntas. Paramos para olhar a lua grande quase cheia, foi Noah que viu. Queria parar e descer toda hora, e a Thainá me mostrava tudo e eu com medo de Noah sair correndo na estrada prestava mais atenção nele e explicava. 

Chegamos em casa e Noah foi brincar com tudo e como o André é mais calmo com apelido de Pacato, quando viu o Noah mexendo no repelente disse para ele não usar. Quando entendi falei

“Andre tira de la, é muito perigoso.”André ainda muito mais calmo que eu disse. 

“Julieta temos que explicar. Foi lá ele já tendo tocado disse que precisava limpar, lavar a mão. “Thainá me explicou que a Mae era brava. E quando eu disse para Cami ela me disse que era “muito importante ser.  So sei que ficamos aqui brincando, o Noah so queria frutas, depois ovo, e manga é sua paixão. Eu fiquei impressionada porque na versão que eu o conhecia ele estava nervoso, correndo. Aqui ele parecia eu, subindo na coisas, olhando tudo. Isso disse a Anisia que trabalha desde que eu era criança contou que eu fazia o mesmo.

De repente a Thainá quis voltar porque precisava ver o celular. Me explicou que tinha Instagram, telefone e eu fiquei chocada que ela era tao obcecada com um telefone. Disse para ela que por ela eu iria tentar não usar o tel um dia.

Eu ja fiz antes, quando fui fazer Vipassana. Isso no entanto é num retiro de meditação, não se pode falar e tudo resolvido esta lá. Agora chego à conclusão que é mais fácil lá que na nossa realidade. Acabou a água porque de alguma maneira o banco não considera a conta automática, como outro dia quebrou o microondas mas na hora que levamos hoje para ser consertado de cara o moço disse do numero e pediu o nosso. Eu expliquei que ficaríamos sem saber quanto custa, nem quando podemos pegá-lo.  

Portanto resolvi escrever. É interessante que, quando fomos levar Noah e Thaina para o restaurante dela. Eu conversei com ela, e o André ficou brincando com o Noah, e a Thaina pegou o tel dela. Ontem a Cami me contou que quando eu e o André partimos para vê-la, disse a Cami que o Noah chorou. Hoje tínhamos que ir para outra praia e acordei e fui a pé até a Camila, e achamos ela no nosso caminho, ela iria pegar um ônibus. Oferecemos para levá-la e fomos conversando, e ela foi me contando do seu lado, e eu contei da filha que detestava estar na escola pública e que preferia que antes estava na privada.

Ela me explicou que ela queria que eles tivessem a experiencia das duas. De ver como é duro para os pais pagarem para 3 filhos. Mas claro que crianças não percebem. Na privada se competiam pelo estilo do que tem de telefone, e na pública uma realidade de como é muito difícil até comprar comida. As realidades são muito diferentes.

Quando vi a Thainá com o irmão grande vindo da escola pública. Ela aceitou ir para a praia conosco. O filho mais velho, de uns 10 preferiu ficar na internet. Fomos, eu, Cami e Thainá. Estávamos de Bikini e a Thaina de celular. O Andre nos encontrou sem celular porque continuava com nosso plano. Ficamos na praia nas falas e uma criança de 8 anos, nos filminhos.  Aliás quase todas as pessoas. 

Aliás eu ja tinha aprendido disso da Camila há muito tempo, que no restaurante dela o que mais se via eram as pessoas juntas com telefones. 

Isso é triste demais. As pessoas fazem as coisas rapidamente e perdem os pequenos detalhes das pequenas coisas. 

Noah não liga para ver um telefone com 3 anos. Como será com 4?

Olhei meu telefone só para mandar ao Edinho que estamos sem tel, que se ele tá mesmo de férias vamos a mais algum lugar daqui que não conhecemos.

Vou postar agora porque já faz um dia e também para dizer se voce me manda mensagem de face faz to olhando so uma vez pelo dia, e usando para ligar como telefone. Muda mesmo. 

Se voce leu o que escrevi tenta diminuir do tanto de celular. Tente ser mais presente isso é a melhor coisa da vida.   

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s