O que se deve dizer do Dia da Mulher?

Honestamente digo que quando me dizem “Feliz dia da mulher”, eu nunca me sinto bem. Quando vem um homem me dizer isso penso se ele acha que todos os outros dias são dos homens. Quando vem de uma mulher pondero se ela é de uma familia onde valorizava mais ser mulher do que ser homem.

Minha avó Lucia me conta que seu irmão queria dar ordens nas suas irmãs, minha avó e Tia Wanda. Minha avo tem 94 anos me conta que sua Mae, minha bisa Zizi dizia ao filho.

“Guarde essa sua energia para usar quando voce tiver filhos. Do jeito que eu te eduquei, eu educo suas irmãs. Não se preocupe”

Na minha casa, eu e meu irmão sempre fomos tratados iguais portanto eu nunca passei pelo machismo na minha vida.  Por isso desde pequena fui brava e viajava pelo mundo.

Ontem recebi pelo facebook uma mensagem de um Indiano que me conheceu pelo meu blog em Inglês. Quando eu disse que ia à Índia ele foi me buscar no aeroporto de Delhi. Eu já conhecia a Índia. Tinha ido com o Haiko. Mas dessa vez estava indo sozinha. Tinha abandonado meu doutorado na LSE em Londres que era sobre Israel e Palestina. 

Eu já tinha visitado sozinha a Palestina, a Turquia, países da América Latina, Europa, EUA. Então estava muito acostumada a viajar sozinha e encontrar em países que não sabiam viajar sozinha no mundo. 

Quando cheguei em Delhi, esse Indiano foi me buscar e me levou para sua casa. Não virou meu namorado, nem dava em cima de mim, mas ele morria de medo de eu andar em Delhi sozinha. Ele saia para trabalhar e eu ficava presa em casa, e completamente revoltada.  A noite me levava para eu conhecer seu amigos. As amigas me perguntavam se ele era meu namorado e quando eu explicava elas decidiram me salvar. Inventamos que elas queriam ver algo na minha mala e assim que chegou a menina, com um menino contaram que uma mulheres tem que ficar com mulher. Esse Indiano ficou revoltado. Mas eu parti.

Quando fiquei na casa da menina, ela pediu autorização para viajar comigo. Deixaram.

Na Palestina quando eu chegava sozinha e viajava via muitas mulheres na universidade. Não havia homens porque muitos eram presos.  Pela Palestina vi milhões de coisas mas sem duvida quando eu saia para ouvir musica normalmente era só homens que saiam. E eu ia até via jogos de futebol, viajei e fiz milhões de coisas pela Palestina. São meus amigos até hoje.

Aqui em Sao Paulo um senhor ficou meu amigo. Eu sempre sou de falar com as pessoas. Esse senhor que é meu vizinho começou me dar presentes de doces, frutas e me convidava para eu ir andar. Avisei que iria chover mas ele insistiu e eu fui. Quando começou a chover tomamos café num lugar da rua e esse senhor me fez uma fala em Árabe e me perguntou e ele me contou que era de amor.

Eu não me senti violada, perguntei de sua mulher, dos filhos e voltei para casa e contei a minha avo e André.  Rimos mas quando veio mais um presente minha avo e o Andre não sabiam o que eu devia fazer. Liguei ao meu grande amigo Duda que é advogado e ele me deu um conselho, dizer a ele que ele me lembrava do meu vovô.

Dei uma carta dizendo assim “Muito obrigada, essas frutas me fez lembrar meu vovô. Obrigada”

Passou meses sem presentes, sem ele me ligar. Quando o vi na rua eu disse bom dia e esse senhor me disse que eu o tinha ofendido.

“Como o ofendi?”

“Sua avó tem mais de 90 e eu não estou nem perto de 90.”

Fiquei impressionada e pensei no meu outro avo e disse.

“Não se ofenda. Eu adoro meu vovô. Ele ja se faleceu. Minha mãe é 2 anos mais jovem que meu pai, eu sou mais velha que o André. Mas é verdade que meu vovô sempre me dava frutas, doces. Ele era incrível.“

Aquele dia me fez lembrar do meu avô que realmente me levava na feira, me dava presentes. E esse senhor não ficou mais tao humilhado. Parou de me dar presentes, e ligações . 

Quando me mandaram esses feliz dia das mulheres e me mandarem mensagem me fez lembrar que aquela jovem, quando foi viajar comigo ela mudou. Ela virou uma controladora. Queria me dar ordens, se portava como o machista que eu tinha visto. Fiquei impressionada. Eu sabia que só tinha poucos dias comigo e eu era livre para fazer o que eu queria. Fiquei tocada de ver como as posturas não mudavam. Ela deixava de ser quem recebia ordem para virar quem da ordem. Aquilo me impressionou.

Eu não estou escrevendo isso para dizer que eu não sei do tanto de diferença de salários de mulheres, sei que tem diferenças nas escolhas para trabalharem.

Mas eu penso que somos seres humanos. E na minha vida vejo que para mim gênero, cor, escolha sexual, religião, filosofia, não faz para mim nenhuma diferença.

Conheço mulheres que adoram sair com machistas. Conheço mães e que criam filhos como machistas. Assim os que acreditam pela infância, pela televisão, ser classistas, elitistas, racistas etc. Sei de tanto quanto pouco falam e ensinam sobre sexualidade para deixar as pessoas mais livres. E então vejo o que aparece perto de mim, crianças abandonadas, pais que saem e idéias filosóficas e religiosas que não aceitam a natureza do ser humano.

Nós seres humanos temos que evoluir muito. Precisamos dar mais valor as pessoas apesar de como uma pessoa nasce. Devemos dar valor as ações que as pessoas tem.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s