Relacionamentos em Kalaw.

Meu dia acabou comigo chegando em casa às 9 da noite. E começou as 7 da manhã então eu entrei em casa pensando que tinha que dividir em várias partes. Ou então não contar tanto. Tento um pouco 🙂

Acordo cedo de manha e não cansada. O dia está lindo. E eu penso “obá hoje andamos mais e vou tomar café da manhã . 

Chego antes das 7 e de repente quem chega é o senhor Japones. Só que dessa vez ele está com outra mulher muito jovem e aquela minha ideia que eram família se desmancha.

Calma, não sou puritana. Quantas vezes vi velhos europeus irem para Tailândia para arrumarem mulheres? Lá, em Isaan, sou até amiga das prostitutas que tem uns 8 maridos europeus que dão 100 euros por mês. E só no mês que vão. E lá eu aprendi que quem fala mal de prostituta não sabe nada da vida da mulher que nasce sem dinheiro, sem apoio de família e que a visão da sexualidade é mais livre e mais presa.

Esse senhor por exemplo é um senhor, como os senhores europeus que vão para o norte da Tailândia. São sozinhos. Não são milionários nos seus países mas o dinheiro deles vale tão mais que aqui compram breves momentos de alegria. Sem duvida há vários tipos de prostituição na Tailândia ( aliás no mundo). Ele me parece o senhor comum alegre , sozinho e numa viagem tipo amor Disney.
Sei que sento do lados deles. Digo bom dia em japonês e em Burmes e ele me mostra fotos da selva e eu mostro às minhas. Falo com todos os garçons e garçonetes. Já comi e é tempo de andar. 

Entreguei meu telefone para os funcionários verem o que vi. E eles adoraram. Viram Bagan e tudo mais. Vim comer e deixei eles livres para verem as fotos que queriam. E é claro eles são como eu que desconheço partes do Brasil, eles desconhecem aqui. Adoraram.

Quando chego no Min Min hoje digo de cara que devíamos ir no View Point que foi o lugar que fui no primeiro dia e chovia com aquele guia advogado. Min Min está com um saco de comida e me diz que hoje vou com o Thutu e com o Krishna e que ele vai cozinhar para nós hoje.

Krishna também é de uma família de Gurka e seu pai de quem me mostra a foto tem 97 anos e está bem. A mãe casou com 14 anos e teve 12 gravidez. Krishna é o filho mais jovem de 30 e de uma vida pelo jeito rica. Ele me conta que a família não pode nem imaginar que ele está trabalhando hoje pela primeira vez comigo. Fala inglês, alemão pouco de tudo.


E hoje eu aprendo dele e do Thutu dos namoros. Krishna me conta que tem uma namorada ha 7 anos e que ela nunca quer casar. Ele dá tudo que ela pede mas ela posterga o casamento. Thutu também me conta que namora há 6 anos e que a namorada também posterga casar.


Não tem jeito, se perguntei na Palestina, pergunto aqui. Como é o nAmoro. E sim esses dois meninos de 26 e 30 são virgens. O namoro é de frases, beijos e presentes. Quanto mais eu escuto mais vai ficando claro que a namorada do Krishna só quer o dinheiro dele. Nao parece ser medo de sexo, ou de ser controlada. Pelo o que ele conta ela só quer presentes materiais e ele só quer casar com ela.

Tudo que Krishna me pergunta é meio dessa paixão. Já Thutu é formado em Pali e budismo e portanto fala comigo de lendas budistas enquanto como comida no restaurante Indiano que na verdade é nepalês 

O dia está maravilhoso e o caminho que fazemos é mil vezes melhor que o do primeiro dia. E quando voltamos é dia de jantar na casa do Min Min.


Tara, mulher do Min Min está lá na casa com as crianças. 


E eu quando estou de volta a cidade convenço uma americana de passear com eles. Explico que eles são muito bons .

Sento com Thutu e Sara para tomar chá. Pergunto o que ela acha da história do Krishna e ela concorda comigo que ele está perdendo tempo. Eles colocavam Tanaka no meu rosto. Tanaka aprendo é uma madeira de uma árvore. Colocam num tipo de prato com azeite e esfregamos a madeira no azeite. Depois coloca no nosso rosto

Tara conheceu o Min Min na Tailândia quando os dois trabalhavam lá . Tem dois filhos com o uso da medicina para protecão. “Dois é mais do que o suficiente.”

Min Min cozinha para todos nós. E sentamos no chão e aprendo lavar a mão. Comer com a mão e me deliciar. Thutu faz um teatro de tudo que se faz com o Long Ji. MIn Min mostra tudo que se faz com uma Tamei. E de fato é absolutamente tudo. 

Depois eles mostram as lutas que faziam como criança. Os jogos. E é difícil de explicar mas são muito divertidos.  Falta um pouco de luz na pequena casa onde moram Tara, Min Min os filhos Djalma de 7 anos e Kamol de 2.  E Thuthu e Krishna. E que dia maravilhoso.

Meu dia acabou comigo chegando em casa às 9 da noite. E começou as 7 da manhã então eu entrei em casa pensando que tinha que dividir em várias partes. Ou então não contar tanto. Tento um pouco 🙂

O que sei é que eles sabem dos japoneses que vem aqui atrás de mulher e sabem que é pelo dinheiro. Sei que são românticos.  Aprendo que na verdade aqui não há tanta mixigenaçao de populaçoes. Acham que os Nepaleses têm que casar com Nepaleses. Nascem aqui mas se sentem ainda Gurka. 

O budismo dos nepalês é muito povoado por hindu. Krishna fala que é cristão mesmo falando de budismo. Thuthu que é de Burma mesmo é o que menos liga apenas de ter estudado Pali. Que dia simples e complicado. Que dia maravilhoso. 

 

.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s