A Paz

Nesse momento de ficar parado tenho evitado ver muito a televisão.

Isso não quer dizer de não procure informação sobre o Coronavirus.

Conheço médicos, e sei que estão passando um momento muito duro.

Eu queria falar que é o momento de alem de ficar em casa, lavar a mão, é o momento de acalmar a mente.

A mente é um poder muito grande no corpo. Eu não sou médica, sei um pouco de cognição mas não te diria que foi de faculdade mestrado e doutorado que abandonei.

Foi das minhas quedas e perder muito o que gosto. Escrever, compor. Tomar remédios que mudaram minha personalidade varias vezes. Caí de Epilepsia mas tenho que dizer que detesto e amo essa queda 🙂

A epilepsia na verdade ninguém realmente sabe de onde vem ou o que realmente causa. Posso falar de mim, faz uma eletricidade que eu senti subindo e perdendo o controle e cair, ou seja sair da paz e cair.

Da queda tem momentos de nem ligar. Dos comas fora de vezes nem estava presente, mas com consciência aumentava o meu nervosismo.

Enfim, no começo na inglaterra há muitos anos me declarou eu tinha epilepsia e eu abandonei o hospital e fui procurar métodos alternativos e aprendi a meditar.

Eu já fazia uma pequena meditação do Yoga. Mas aquilo ainda no Yoga não era meditação.

Para mim meditação era aprender a começar do pé e ir focando no corpo inteiro, a respiração. Até chegar o cérebro.

Sei que agora nesse momento de ficar parado tem muitos desesperados. Acaba de me ligar minha amiga de Israel e ela me conta que era difícil ficar em paz e calma. Contei a ela de meditar.

Me fez lembrar de uma vez ouvi de um homem me contar que era traficante e no Japão foi preso. A prisão não era como no Brasil. É ele sozinho num quarto. Não pode falar. Ficou muito tempo ele com ele, sem nada de se distrair.

No começo me disse que era muito duro. Como pensava era um vipassana mais fortes.

Alguns anos ele preso e só com ele. Quando saiu mudou. Ele aprendeu ele com ele mesmo, aprender o amor a si mesmo.

E parou de fugir de si mesmo. Virou um meditador. Faz anos que o conheci acho que na India. Lembrei só quando falava com Michal de Israel agora no whats.

Talvez esse nosso momento de estarmos a dar valor a nónós mesmos.

Escrevi apenas um dia da paz me fez pensar dos tres pontos do budismo que acredita na reencarnação de todos. 3 pontos, compaixão, impermanência e paz. Antes pensava que a paz era o mais duro. Mas eu até perdendo minha avó me sinto em paz.

Temos que lidar conosco quem está só, mas se está com alguém do lado temos que manter palavras delicadas.

Eu confesso eu as vezes sou brava mas quando isso acontece o outro tem que lidar com si.

É duro perceber. Eu em paz delicada e o outro tem que lidar com si mesmo. Aí tao duro me atacam verbalmente e eu explodo de novo.

Mas quando disse a meu amigo que eu explodo e me liberto dos pensamentos e sentimentos e os calmos sofrem por dentro. Eu percebo que se seu calma aí o calmo fica bravo e então eu explodo mais forte. 🙂

É irônico. Talvez seja a compaixão. Quando na paz e só é mais fácil qualquer do lado temos que tentar manter a paz mesmo que pela primeira vez explodiu o calmo. A vida é irônica. Temos que manter a paz

Com amor,
Ju

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s