A busca de ser presente.

Ontem pedalei bastante para fazer coisas alternativas, não coloquei a internet quando saí. Queria chegar em um lugar e ir aprendendo perguntando para as pessoas. Queria ir mudar de óculos, mas não queria procurar na internet onde havia um ocultista.
Tinha decidido, depois de ter visto fotos, que estamos num tempo presos por um telefone, e raramente presentes com quem está ao lado.
Eu queria mudar meus óculos, que faz tempo que nao estão bons, e eu fico indo sempre no mesmo médico, que nunca leva a sério o que falo, e não resolve o problema.
Fui indo e vi o grão, que é um restaurante vegetariano que adoro. Eu sempre peço o prato do dia que é sempre bom é custa 18 reais.
Lá fui dividir a mesa com uma senhora que me deixou sentar juntas. Na mesa do lado havia uma outra senhora de olho fechado, reclamando de tudo, e quando eu oferecia ajuda, ela não queria. A minha companheira da mesa achou terrivel que ela reclamava de tudo. Eu sugeri que ela estava deprimida. 
A minha companheira me contou que era professora de Tai-chi, que morou na China, que pra meditar não precisa ficar parada, pode ser em qualquer ação em que estejamos presentes. Fiquei impressionada que ela tinha mais de 80 anos. 
Me ensinou que Tinha aula pública terça e quinta. Quando eu contei do óculos, ela se ofereceu pra ir comigo a pé mostrar onde ficava. Como só tinha horário pra hoje, fui procurando na rua, perguntando pras pessoas, e encontrei um optometrista. É aí eu senti que realmente estava voltando ao passado.
Continuei pedalando, fazia muito sol, e quando eu achei o caminho de volta, resolvi tomar um suco bom dia no integrale. Quando cheguei, todos me falaram que minha mãe tinha passado lá, que era muito bonita, que eu era bonita por causa da minha mãe. 
Contei que estava usando o telefone só pra tirar fotos, e contei da senhora do Tai-chi que conheci, Mariza, e que tirei uma foto pra lembrar o rosto. Todos lá conheciam a Mariza. 
Eu que decidi que ia na aula,que me explicaram na integrale que era terça e quinta as 7.00 da manhã. Resolvi dormir as 8 horas. Vovó disse que eram decisões muito radicais. Eu acordei às 4, e com uma dor na perna, mas resolvi olhar o sol. Fiquei encantada com o sol nascendo e fui percebendo que minha perna estava exausta. Tirei foto, dormi mais uma hora, e depois resolvi nadar.
O mar estava maravilhoso, calmo. E agora, depois de horas sem usar o telefone, resolvi contar de como é lindo estar presente. Eu escrevi num caderninho, e pedi ao André para digitar, já que ele ama ficar no telefone 🙂
Com amor,
Ju

1 thought on “A busca de ser presente.

  1. Viver o agora e o presente é muito bom!!!!

    Estou em uma vida Alternativa mas percebi que esta sendo muito produtiva!!

    E principalmente sem celular!

    Muito obrigada 🙂 Espero que vcs voltem.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s