Hans- parte I

Assim que eu cheguei a Chumpae, a cidadezinha mais proxima do vilarejo onde fui voluntariar, eu fui recebida por Horm, minha anfitriã, Hans, um dinamarques, Nari, uma advogada Tailandesa, e Neem, uma menina de 15 anos que era a coisa mais fofa que eu ja vi! Assim que eu cheguei eu nao entendi muito bem,a que titulo o Hans ali. Eventualmente me foi explicado que ele e Horm eram amigos de longa data. Como tinham se conhecido? Por um site de relacionamentos. O romance nunca rolou mas ficaram amigos.

Hans chegou a Tailandia, acho que uns dois meses antes de mim, e logo no aeroporto encontrou a sua futura esposa. Assim de um futuro muito breve, nao levou nem uma semana para eles se casarem. Quando eu o conheci ele estava se separando. Eu achei a estoria meio patetica, e ja fui formando na minha cabeca a ideia ” tipico europeu meia idade que vem procurar mulher novinha na Tailandia”. Hans era meio fechadao, meio resmungao, mas acabou se abrindo e me contando que na Dinamarca ele era sozinho. Bebia todos os dias, e que queria ser um homem feliz, e achou que tinha encontrado a mulher da vida dele. Eu ouvi tudo respetiosamente, e com uma certa pena. Entao ele me explicou que a a Nari a advogada, uma mulher jovem e bonita, estava apixonada por ele. Ele nao estava entao nao podia engana-la. Eu fiquei totalmente perplexa nao conseguindo imaginar como uma mulher super bacana, bem sucedida, inteligente e bonita como a Nari pudesse estar apaixonada pelo Hans. Das muitas coisas que eu nunca entenderia na Tailandia!

Os dias se passaram e eu fui ficando cada vez mais proxima do Hans afinal de contas ele era a unica pessoa que falava ingles de fato. Um dia, na cumplicidade que foi nascendo Hans resolveu me fazer uma confissao: “Jules, I have to tell this to someone or I will burst!!! I am in love with Oum!!!”

Bom, eu quase cai pra tras. A Oum era a secretaria da Horm, minha anfitria. Uma moca que fazia de tudo para a nossa casa. A Ooum, tinha 28 anos, 2 filhas e era casada com o policial do vilarejo! Quando o Hans me disse isso, eu meio que perdi o folego e disse muito calmamente: ” Hans, PESSIMA ideia. Isso nao eh amor, voce nao consegue nem falar com ela.. E ela eh casada com o POLICIAL!!! Pelo amor de deus esquece isso. Alem do mais voce passou horas me contando quao traumatizado vc tinha estado com seu nem se quer acabado casamento. Take your time.” Diante das minhas sabias palavras Hans nao teve muita opcao a nao ser concordar. E a vida seguiu calmamente no meu vilarejinho.

Eis que um dia, fui informada que teriamos que ir ao Laos para que Hans trocasse de visto. Achei otimo, e sem perguntar muitos detalhes arrumei minha mochila. Como iriamos? De carro! Que carro? o do marido da Ooum. Quem dirijiria?A propria Ooum. Assim que entrei percebi que no banco de tras havia uma enorme espada estilo “ninja”. Perguntei o que era aquilo e eme explicaram que pertencia ao policial. Me deu um certo arrepio na espinha sentar ali com aquela espada, mas sem muita opcao sentei, e a viagem comecou. Uma longa viagem ate o norte da Tailandia. Assim que chegamos a primeira cidade onde dormiriamos, fomos informadas pela Horm que eu dormiria com ela, e a Oum…. dormiria o o Hans.

1 thought on “Hans- parte I

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s